• Desmistificando a esquizofrenia
  • Ter tempo para si
  • Dar apoio a um familiar / amigo
  • As suas dúvidas esclarecidas

As pessoas com esquizofrenia não têm "dupla personalidade"

Um diagnóstico de esquizofrenia não significa que alguém tenha uma "dupla personalidade". A esquizofrenia é uma doença complexa, na qual as pessoas têm dificuldades nos seus processos de pensamento normais. Estas dificuldades podem levá-las a ter alucinações, ou a acreditar fortemente em coisas que não são verdadeiras (delírios).

As pessoas com esquizofrenia não podem simplesmente ser classificadas como "estando mal" ou "estando bem"

No passado, as pessoas com esquizofrenia eram vistas simplesmente como "estando mal" ou "estando bem". No entanto, sabemos hoje em dia que existem vários graus de bem-estar. As pessoas com esquizofrenia podem muitas vezes experienciar pequenas melhorias ao longo do seu caminho para a recuperação, intercaladas com períodos mais desafiantes.

As pessoas com esquizofrenia podem ter uma boa qualidade de vida

A esquizofrenia é muitas vezes angustiante e assustadora, no entanto as pessoas com esta doença podem viver uma vida feliz, com sentido de realização pessoal. Tal inclui, por exemplo, iniciar um novo emprego, ou atingir a capacidade de auto-sustentação, o que pode acontecer caso haja uma boa gestão da doença.1

Os amigos / familiares são muito importantes para as pessoas com esquizofrenia por causa do apoio emocional e nas atividades do dia-a-dia.

No entanto, cuidar de uma pessoa com esquizofrenia pode ser física e emocionalmente desgastante. Poderá experienciar sentimentos de perda e tristeza, ou achar que equilibrar as atividades familiares, sociais e de trabalho torna-se muito difícil. Por estas razões, é importante que reserve períodos de tempo para si mesmo para relaxar. Também poderá achar útil encontrar apoio independente e orientação de outras pessoas que entendam a sua situação.

Lembre-se, é muito mais fácil cuidar de alguém com esquizofrenia caso se sinta apoiado e positivo.

Não confronte

Ao lidar com alguém com esquizofrenia, é importante que não desafie as crenças da pessoa. Em vez disso, explique que, embora não veja determinado tópico da mesma forma, você compreende a outra pessoa e entende que determinada situação possa ser entendida por ela de forma diferente.

Seja uma fonte de motivação

Se você é próximo de alguém com esquizofrenia, saiba que pode desempenhar um papel importante ao ajudá-lo a tomar a sua medicação. O seu incentivo poderá levar a que o seu amigo / familiar veja que a medicação é uma parte importante do processo de recuperação. No entanto, se o seu amigo ou parente começar a recusar a toma da medicação, ou se a vossa relação começar a deteriorar-se devido a este facto, o profissional de saúde pode ser capaz de aconselhar uma abordagem ao tratamento diferente.32 Você poderá incentivar o seu amigo ou familiar a conversar com o seu médico caso note qualquer sinal que possa estar relacionado com uma possível falta de adesão.

Tenha uma atitude positiva

As pessoas com esquizofrenia, assim como todas as pessoas, precisam de saber quando estão a fazer as coisas da forma certa. Uma abordagem positiva e construtiva pode ser muito mais eficaz do que criticar determinado comportamento. Falar abertamente sobre a sua doença e preocupações pode também ajudar o seu familiar ou amigo a sentir-se respeitado e valorizado.

Será que o meu amigo / familiar alguma vez vai ficar definitivamente curado?

Atualmente não é possível curar em definitivo a esquizofrenia. No entanto, o tratamento contínuo pode controlar os sintomas da doença e permitir que o indivíduo leve uma vida completa e feliz. Isto poderá incluir começar ou regressar ao emprego, caso a doença seja bem gerida.

Porque é que o meu amigo/familiar desenvolveu esquizofrenia?

Pensa-se que alguns fatores como a hereditariedade (i.e. fatores genéticos), bem como traumatismos e/ou infeções na gravidez ou no parto possam aumentar o risco da pessoa vir a ter a doença em adulta. Outros fatores incluem o consumo de drogas ilícitas, sobretudo cannabis, que aumentam muito o risco da esquizofrenia se manifestar, se a pessoa tiver vulnerabilidade para vir a ter a doença.

Embora a esquizofrenia cause muitas vezes uma perturbação considerável na vida do seu amigo / parente, uma combinação da medicação correta e de técnicas psicossociais eficazes poderá permitir o início do processo de recuperação.

Como posso ter a certeza que o meu amigo / familiar está a tomar a medicação?

A manutenção e cumprimento do tratamento proposto (adesão ao tratamento) é fundamental no processo de recuperação da doença. A medicação pode demorar a começar o seu efeito, ou pode precisar de ser ajustada, mas uma vez prescrita e iniciada deve ser mantida. A melhor forma de ajudar o seu amigo / familiar é encorajá-lo a tomar a medicação e cumprir o seu tratamento.

Devo informar os nossos amigos e família?

A decisão de contar aos outros deve ser inteiramente sua e do seu amigo / familiar. No entanto, pode ser muito benéfico ter uma forte rede de apoio de familiares e amigos para o ajudar a si e à pessoa com esquizofrenia a lidar com os efeitos da doença. Falar abertamente sobre a perturbação vai ajudar a aumentar a consciencialização sobre a doença, contribuindo para uma relação positiva entre a pessoa com esquizofrenia e os seus familiares. Tal irá ajudar o seu amigo / familiar a se sentir-se mais valorizado e auto-confiante.1