• Desmistificando a esquizofrenia
  • Continuar o trabalho / estudos
  • Manter os relacionamentos
  • As suas dúvidas esclarecidas

As pessoas com esquizofrenia não têm "dupla personalidade"

Um diagnóstico de esquizofrenia não significa que tenha uma "dupla personalidade". A esquizofrenia é uma doença complexa, na qual as pessoas têm dificuldades nos seus processos de pensamento normais. Estas dificuldades podem levá-las a ter alucinações, ou a acreditar fortemente em coisas que não são verdadeiras (delírios).

As pessoas com esquizofrenia não podem simplesmente ser classificadas como "estando mal" ou "estando bem"

No passado, as pessoas com esquizofrenia eram vistas simplesmente como "doentes" ou "estando bem". No entanto, sabemos hoje em dia que existem vários graus de bem-estar. As pessoas com esquizofrenia podem muitas vezes experimentar pequenas melhorias ao longo de seu caminho para a recuperação.

As pessoas com esquizofrenia podem ter uma boa qualidade de vida

A esquizofrenia é muitas vezes uma doença angustiante e assustadora, no entanto as pessoas com esta doença podem ainda assim viver uma vida feliz, com sentido de realização pessoal. Tal inclui por exemplo iniciar um novo emprego ou atingir a capacidade de auto-sustentação, o que pode acontecer caso a condição seja bem gerida.

Todos podemos contribuir para a redução do estigma à volta da esquizofrenia

Muitas pessoas sentem que o estigma associado à esquizofrenia é um dos aspetos mais complicados relacionados com esta doença. No entanto, existem algumas coisas que pode fazer para contribuir para a redução do estigma. Lembre-se:

  • A doença mental não é culpa da pessoa que a experiencia e não é algo que alguém possa simplesmente livrar-se pela força de vontade
  • A esquizofrenia é frequentemente causada por desequilíbrios químicos no cérebro e algumas pessoas são geneticamente predispostas à doença
  • A esquizofrenia pode, se tratada adequadamente, ser controlada. O tratamento é muitas vezes mais bem-sucedido quando a pessoa com esquizofrenia tem o apoio das pessoas ao seu redor, nomeadamente amigos e familiares
  • A esquizofrenia não é um sinal de fraqueza ou falta de inteligência

A esquizofrenia pode afetar a vida de uma pessoa. Voltar a trabalhar ou a estudar pode ser uma conquista muito importante na recuperação da confiança e satisfação pessoal1

O regresso ao trabalho ou aos estudos após um longo período de ausência pode ser assustador, mas se mantiver o tratamento prescrito pelo seu médico e a sua doença estiver controlada, poderá ter a oportunidade de voltar a fazer pequenas tarefas que lhe permitam ter um emprego ou estudar.

O isolamento social é comum nas pessoas que vivem com esquizofrenia. As pessoas com esquizofrenia podem passar por períodos em que sentem dificuldades emocionais ou sociais, incluindo falta de motivação para participar nas suas atividades normais do dia-a-dia.

As intervenções psicossociais e psicoterapia procuram melhorar as dificuldades que podem ocorrer nos domínios da vida tais como o social, o vocacional/laboral, a ocupação dos tempos livres e a cognição, podendo contribuir para que as pessoas superem alguns dos obstáculos associados à esquizofrenia e contribuindo para o seu regresso à vida social e familiar normal. Lembre-se que você é mais propenso a manter relações interpessoais se os seus sintomas de esquizofrenia estiverem bem controlados.

Quando vou começar a sentir-me melhor depois de tomar a minha medicação?

As pessoas respondem à medicação de forma diferente. O seu médico irá garantir que a sua medicação atinge um nível de eficácia adequado dentro de um tempo satisfatório. Por vezes, a medicação injetável pode levar mais tempo até que se assista a um efeito terapêutico quando comparado com a medicação oral. Por esta razão, quando são usados certos medicamentos injetáveis, o médico poderá indicar a toma simultânea de medicação oral durante alguns dias, até que a injeção comece a surtir efeito.

Como posso saber qual é a medicação certa para mim?

Em primeiro lugar deve pensar sobre o que mais valoriza no seu tratamento. Por exemplo, você pode querer que o seu médico lhe fale um pouco mais sobre o controlo dos sintomas, ou então transmitir-lhe a ideia que o número de vezes que toma a sua medicação é importante para si. Deve falar regularmente com o seu médico sobre como se tem sentido com o seu tratamento, para que ele possa adaptá-lo às suas necessidades.

Existem grupos de apoio em que eu possa participar? Com quem posso falar?

Os grupos de apoio podem proporcionar uma oportunidade para conhecer outras pessoas cujas vidas foram tocadas pela esquizofrenia. Pergunte ao seu médico ou enfermeiro se lhe pode indicar algum grupo de apoio em que possa participar, ou alternativamente clique aqui para encontrar um grupo de apoio local.