• Desmistificando a esquizofrenia
  • Ajudar o doente a permanecer bem
  • Responder a sinais de aviso
  • As suas dúvidas esclarecidas

As pessoas com esquizofrenia não têm "dupla personalidade"

Um diagnóstico de esquizofrenia não significa que alguém tenha uma "dupla personalidade". A esquizofrenia é uma doença complexa, na qual as pessoas têm dificuldades nos seus processos de pensamento normais. Estas dificuldades podem levá-las a ter alucinações, ou a acreditar fortemente em coisas que não são verdadeiras (delírios).

As pessoas com esquizofrenia não podem simplesmente ser classificadas como "estando mal" ou "estando bem"

No passado, as pessoas com esquizofrenia eram vistas simplesmente como "estando mal" ou "estando bem". No entanto, sabemos hoje em dia que existem vários graus de bem-estar. As pessoas com esquizofrenia podem muitas vezes experienciar pequenas melhorias ao longo do seu caminho para a recuperação.

As pessoas com esquizofrenia podem ter uma boa qualidade de vida

Muitas pessoas sentem que o estigma associado à esquizofrenia é um dos aspetos mais complicados relacionados com a doença. No entanto, existem algumas coisas que pode fazer para reduzir o estigma:

  • Lembre-se que a doença mental não é culpa da pessoa que a experiencia e não é algo que alguém possa simplesmente livrar-se pela força de vontade
  • A esquizofrenia é frequentemente causada por desequilíbrios químicos no cérebro e algumas pessoas são geneticamente predispostas à doença
  • A esquizofrenia pode, se tratada adequadamente, ser controlada. O tratamento é muitas vezes mais bem-sucedido quando a pessoa com esquizofrenia tem o apoio das pessoas ao seu redor, nomeadamente amigos e familiares
  • A esquizofrenia não é um sinal de fraqueza ou falta de inteligência.

Uma vez que a recaída é mais provável quando os medicamentos antipsicóticos são descontinuados ou tomados irregularmente, é muito importante que as pessoas com esquizofrenia participem juntamente com o seu médico e familiares na elaboração de um plano de tratamento e de prevenção de recaída que seja adequado.

Como um profissional que trabalha em estreita colaboração com alguém que tem esquizofrenia, há algumas coisas que pode fazer:

  • Estude o máximo que puder sobre a esquizofrenia para compreender melhor a doença
  • Encoraje a pessoa a continuar a tomar a medicação prescrita
  • Se a própria pessoa e a sua família concordarem, mantenha um registo de todos os sintomas que observa no doente
  • Procure oportunidades para envolver a pessoa em atividades do dia a dia

 

Se trabalha em estreito contacto com alguém que tenha sido diagnosticado com esquizofrenia, saiba que você é uma pessoa importante na deteção de sinais que alertam para uma possível recaída logo desde o início do diagnóstico. Alguns exemplos destes sinais podem ser: dormir ou comer menos que o habitual; estar mais nervoso, ansioso ou agitado; não ter vontade de se levantar da cama; não frequentar a escola ou o trabalho; não ser capaz de se concentrar. Se estes sintomas forem detetados e tratados precocemente, é bastante provável que a pessoa melhore mais rapidamente e que seja capaz de seguir com a sua vida.

Que tipo de apoio é necessário para uma pessoa com esquizofrenia?

Todas as pessoas são diferentes umas das outras, pelo que as intervenções nos doentes com esquizofrenia deverão igualmente ser adaptadas a cada indivíduo. A equipa de saúde, a família e os próprios doentes devem ser incentivados a trabalhar em conjunto para criar um plano de prevenção de recaídas adaptado às necessidades e objetivos do doente. Você pode ajudar incentivando-o a cumprir a medicação conforme esta foi prescrita e analisando certos sinais que poderão anunciar uma possível recaída. Além disso, se notar sinais de melhoria, certifique-se de o partilhar. O incentivo e a empatia irão certamente apoiá-lo na sua jornada para a recuperação.

Como devo reagir perante alguém que experimenta um episódio de psicose?

As pessoas com esquizofrenia podem por vezes sentir-se assustadas, ansiosas e confusas, visto que o seu mundo pode, de alguma forma, estar distorcido. Alguns sinais de alerta para um episódio psicótico incluem, entre outros, um discurso e comportamento desorganizado. Se você sentir que alguém está a demonstrar estes sinais, deve abordar a pessoa com cuidado, mantendo a calma e falando no seu tom normal de voz. Lembre-se: determinada pessoa pode não ser capaz de raciocinar normalmente num episódio de psicose extrema, pelo que vai precisar de medicação para combater os sintomas que está a experienciar. É por isso vital que procure assistência médica imediatamente.

Como posso garantir a segurança dos outros?

Um comportamento e discurso desorganizados podem assustar os outros, fazendo com que a pessoa com esquizofrenia possa, em alguns casos, tornar-se agressiva. Aproxime-se de alguém que esteja a experienciar sintomas psicóticos com cuidado, tentando agir com toda a calma possível. Pode ser mais seguro evitar o toque físico e contacto com os olhos. Procure assistência o mais rapidamente possível.